sexta-feira, 24 de julho de 2009

Ela é uma moça-cata-vento, ela se ri inteira em troca de qualquer sopro de carinho. Ela não sabe andar sozinha, mas quando o vento bate ela gira de saia rodada fazendo charme. Ela é um girassol, fica murcha em dias nublados, aprendeu a dança da chuva mas não sabe chamar a luz, por isso depende da luz alheia, do amor retribuído. Ela é uma moça-cata-sonhos, não se basta, é sedenta, está sempre tentando alcançar.

10 comentários:

Faço paisagens com o que sinto. disse...

Ela é uma moça que tem luz própria, mas cisma em não usá-la, achando-se sempre dependente de luzes alheias, quando sua própria luz tem a força de romper os confins do universo. Só ela não vê!

Isabella disse...

Ela não quer andar sozinha.
E se quer alcançar, alcança, então. Com claridade e fragilidade dignas de uma moça-cata-amores...

Vinicius Castro disse...

E não é que as pessoas tem blogs? Preciso passar a frequenta-los!

yuri disse...

ela é uma moça. uma moça de boas energias, que quando surgem os sopros, a luz e o ligar do inerrutor, emana em si seus melhores sentidos. o da vida.

laura(ribossomo) disse...

amiga tenho uma novidade: inventaram a lampada, eh facil eh so apertar o interruptor q ela acende..hj em dia todos tem luz propria..rs.. manero neh..todo mundo comenta assim, meio q continuando um poema, mas naum sei pq a unica coisa q me vem a mente eh sua saia rodada q tnt gosto e ate quero q mande ela por sua mae pra eu fazer uma pra mim.. aquela azul listrada c branco q usei em brasilia... rs..

laura disse...

ela eh uma moça, uma moça banguela que acende a lanterna,
buscando ser bela
em meio a baderna
da sua caverna.
hauhauhauha tentei..juro q tentei...dei o mlehor de mim, mas naum da.. um dia faço um comentario serio eu prometo, talvz sobre a morte..

Rodrigo Caldas disse...

engraçado... havia um tempo em que a moça não se dava com a estrela de 5 Grandeza... que bom que a moça aprendeu a valorizar o que realmente é bom e não gostar dos dias nublados.. cinza não rola...

Ju disse...

E quem não tenta alcançar?
Acho, as vezes, que vivemos para alcançar alguma coisa que parte a cada vez que sentimos o calor chegando às mãos.

Ju disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ju disse...

"A felicidade é um exercício", os diálogos infindáveis com Deus são um exercício e a demagogia é uma arte.
Estou cansada demais pra me exercitar. E sem dúvida, sou uma artista de primeira.

Escreve porque quero te ler!
Outro dia, no ponto de ônibus, lembrei da sua "moça-cata-vento". Ria sozinha, imaginando como seria uma dessas... Rodando e se doando no escuro.