segunda-feira, 21 de setembro de 2009

CLARO RECADO

Nó. Aperto.
Cintos sufocam.
Punho no peito. No coração.
Coração na mão. Trêmula.
Vento. Zumbido. Temporal.
Frio e falta.
Onde está que não atende?
Onde está que não aqui?
Onde está?
Onde?

Um comentário:

Wallace Santos disse...

Uma eterna procura, mas pelo que procuramos?
Onde está o que queremos encontrar? Na verdade o que queremos encontar?

Muitas perguntas, muitos desafios.
Muita vontade de fazer muita coisa.

Afinal nada fazer é simplesmente não existir.


Passando só pra marcar o recomeço, agora juro que levarei meu blog a sério (risos) até repaginei, e como vi esse texto não pude conter a minha vontade de escrever sobre, então aqui estou.